Astrosphera

Ancient astrological technics uncovered.

Trânsitos na Astrologia Indiana

Por não ter encontrado uma maneira inteligente de usá-los, eu abandonei o uso de trânsitos há algum tempo, mas ouvi recentemente um material muito bom sobre eles, que pode interessar o leitor.

No site de Ernst há um áudio gratuito sobre trânsitos, que eu recomendo. Como tudo que faz, Ernst nos dá a melhor e mais completa explanação sobre trânsitos que pude encontrar até hoje. Se você não entende inglês falado, então vou fazer um breve resumo do que você precisa saber, neste post.

Em primeiro lugar, os trânsitos na Astrologia indiana são observados não somente em relação ao Ascendente, mas em relação a todos os planetas. Assim como se conta casas a partir do Ascendente (Lagna), se conta casas a partir de qualquer planeta. Só que esse uso dos trânsitos é um pouco complexo no momento, para quem deseja um debut nessa área. Vamos, por hora, nos restringir ao que é mais essencial e que produz resultados suficientemente satisfatórios, que é contar casas nos trânsitos a partir da Lua natal.

A Lua é significadora essencial de crescimento, pelo seu ciclo com o Sol. Assim, se o planeta estiver numa boa posição em relação a Lua, os assuntos indicados por ele crescem e se manifestam, SEJAM ELES BONS OU RUINS. É muito importante escrever isso com Caps Lock, porque assim como cresce o trigo, crescem as ervas daninhas.

Receio seja oportuno exemplificar o que disse. Assim, você vai desaprender o que seria um uso errôneo dos trânsitos, que gera o tipo de desistência que eu tive da sua aplicação. Tomemos o exemplo que o próprio Ernst cita no áudio:

Marte em trânsito no 5º Signo a partir da Lua natal

99% dos estudantes de astrologia que passaram previamente pela Astrologia ocidental concluirão que marte na 5 da lua pode trazer problemas com seus filhos e um período de romance caliente. Pois aprenda a primeira lição dos trânsitos na Jyotisha:

As casas contadas a partir da Lua servem somente para promover ou impedir o que o planeta representa no mapa natal, seja essencialmente (significados essenciais) ou acidentalmente (significados acidentais).

Elas não possuem os mesmo significados que as casas comumente contadas a partir do Ascendente. Aliás, eu diria mais: nos trânsitos, as casas a partir da lua não possuem significados. Elas são como campos de força, que enfraquecem ou fortalecem o que o planeta indicar.

Esse é o ponto de partida para você ver os trânsitos de uma maneira completamente diferente.

Voltando ao exemplo: agora você sabe que marte na 5 da lua não indica nada relacionado a filhos, a menos que ele tenha regência sobre a Casa 5 a partir do Ascendente. Seja lá qual casa ele reger, a primeira pergunta a ser feita com marte na 5 da lua é: essa casa promove os assuntos de marte ou os impede?

Responder à pergunta acima é um pé no saco, porque você precisa memorizar quais casas são boas e quais são ruins para cada planeta. Isso mesmo, para cada planeta, o conjunto de casas boas ou ruins será diferente. Ao invés de memorizar tudo isso, é preferível ter uma folha auxiliar a mão (que você encontra no site do Ernst), ou então contar com a ajuda de um bom software de jyotisha. Felizmente, até os programas gratuitos, como o Jagannatha Hora, contém módulos de trânsitos bem sofisticados.

Para aliviar seu esforço, já vou dizendo que marte na casa 5 da lua é ruim. As interpretações tradicionais dizem que a pessoa perderá muita energia nesse trânsito. No meu caso, quando marte entrou em virgem, o quinto signo a partir da minha lua natal, eu me senti extremamente letárgico, com o agravante de marte ter retrogradado nesse signo, permanecendo ali muito mais tempo do que eu merecia. Não acho que marte tenha causado isso, mas ele se sincronizou perfeitamente com uma queda de vitalidade.

Muitas vezes, as interpretações tradicionais podem ser corretas, como foi no meu caso. Para muitas pessoas, porém, essa interpretação não será verdadeira. Entretanto, para aquilo que marte reger nos mapas de cada um, tê-lo na Casa 5 da Lua pode ser ruim. No meu caso, a interpretação foi certeira porque marte rege o meu ascendente Áries. O signo ascendente representa o corpo, e marte numa casa ruim para ele a partir da lua sempre trará questões ruins para meu corpo.

As especulações acima são oportunas para explicar como podemos usar trânsitos para prever eventos. Supondo que a pessoa queira saber quando terá um período bom para relacionamentos. Ela deve ver os trânsitos dos seguintes planetas a partir da Lua:

  1. O significador de relacionamentos, Vênus
  2. O regente da Casa 7
  3. O significador de parceiros: Vênus para os homens, Júpiter para as mulheres

Se os três pontos acima estiverem em boas casas a partir da lua, então o momento é propício para relacionamentos. Não há regras muito rígidas: quanto mais, melhor. Porém, como estamos falando de trânsitos, eles não contrariam nunca o que outras técnicas mais “sérias” dizem:

  • Se você analisar seus dashas e concluir que o ano não é propício para conhecer uma pessoa nova, então bons trânsitos dos planetas acima apenas podem indicar sorte com vários relacionamentos fugazes.
  • Se você já conheceu alguém e os dashas indicarem a manutenção saudável desse relacionamento, então os bons trânsitos acima apenas indicam que você terá momentos românticos agradáveis com seu parceiro
  • Todavia, se você estiver sozinho e o dasha indicar que você pode conhecer alguém novo, os trânsitos podem indicar o mês ou até mesmo o dia em que isso ocorrer. E aí que entra a parte mais fascinante do uso deles.

O terceiro ponto é aquilo que todo astrólogo preditivo ambiciona: prever o dia de um evento. É uma tarefa tão difícil que você deve ser tolerante consigo mesmo se nunca conseguir, mas os trânsitos podem se revelar uma excelente ferramenta para tal façanha.

 

 

Exemplo: trânsitos do meu acidente

Eu quebrei a perna no dia 18 de novembro de 2007. Uma análise dos trânsitos daquele dia:

  • Marte, significador do Ascendente, está no 3º signo da lua, o que é bom, mas peca por estar em queda. Os eventos mais traumáticos da minha vida ocorreram quando marte entrou em Câncer, mesmo ele numa boa casa a partir da lua.
  • Saturno, significador de doenças, estava no 5º signo da minha lua natal, considerado ruim. Os efeitos de Saturno, porém, eram temporariamente obstruídos pela presença da Lua em trânsito por Peixes, no 11º Signo a partir da Lua (um fenômeno chamado de obstrução, ou Vedha, em sânscrito). Ou seja, temporariamente eu não sentiria os problemas indicados por Saturno. Não foi o que aconteceu, porém.
  • Sol, significador de vitalidade, está no 7º signo a partir da Lua natal, que é ruim.
  • Finalizando, a Lua do dia estava em Peixes, no 11º signo a partir da Lua natal, o que é bom, mas tinha seus significados obstruídos (Vedha) por Júpiter em trânsito por Sagitário.

Eu vivia o Dasha Sol-Vênus em Vimshottari Dasha, e Júpiter-Marte, em Dvisaptati Sama Dasha. Este último é um dasha ao qual os eventos da minha são sincronizados com uma precisão muito maior. Marte e Júpiter eram os planetas que, por trânsito, estavam envolvidos em obstruções com a Lua (Júpiter) e com a sua queda (Marte).

Astrologicamente, o acidente ocorreu pelas seguintes razões:

  1. O Dasha era de Júpiter, que no mapa natal rege a 12, indicando doenças, internação e hospitais, e a 9, indicando universidades. Quando o Dasha de Júpiter começou, bastou uns seis meses para que entrasse na faculdade de medicina.
  2. O AntarDasha (subperíodo) era de Marte, significador de acidentes e regente da 1 e da 8, que significa o bem estar do corpo e traumas, respectivamente. Marte natal está numa casa “maraka”, a 7.
  3. No mapa natal, Júpiter é dispositado por Marte. Normalmente, o evento mais marcante do dasha acontece no antardasha do seu dispositor. Foi exatamente o que ocorreu.
  4. Júpiter em trânsito estava na Casa 8 a partir da Lua. As interpretações tradicionais indicam um sofrimento quase mortal para a pessoa quando isso ocorre. Não foi bem assim, embora a dor de uma fratura seja intensa. Por ser regente do Maha Dasha (o período principal), o trânsito de Júpiter por Sagitário ganha importância.
  5. Marte regia o subperíodo de Júpiter em que o acidente ocorreu, e seus trânsitos também são muito importantes. Ele estava estacionário e em queda. A queda é a dignidade que mais enfraquece o planeta, e isso representa para mim a debilidade do corpo, pois marte rege meu ascendente.
  6. A Lua em trânsito estava obstruída por Júpiter (ouça a aula do Ernst e você entenderá o que é isso), que impedia seus esfeitos auspiciosos ao transitar pela casa 11 da Lua natal.

De todas as razões acima, as três primeiras são as mais importantes. Os dashas são importantíssimos no timing dos principais eventos das nossas vidas. Trânsitos, por outro lado, servem mais ao propósito de estreitar o intervalo de tempo, dentro do dasha, quando o evento ocorrerá. Isto porque os dashas podem durar anos, alguns mais até do que os trânsitos de Urano, Netuno e Plutão. O Dasha do Nodo Norte, por exemplo, dura cerca de 18 anos! Trata-se de um intervalo de tempo grande demais para ficarmos preocupados.

Se os Dashas não indicassem o risco de acidentes, o dia acima provavelmente seria como um outro qualquer, mesmo com trânsitos ruins. Trânsitos difíceis ocorrem todos os dias, e nem por isso alguma coisa ruim acontece o tempo todo em nossas vidas. A recíproca é válida para trânsitos bons. Um dia de trânsitos ruins e sem confirmação dos dashas pode indicar simplesmente um dia malhumorado, em que tudo dá errado, mas mesmo assim você volta pra sua casa no fim do dia e nada demais acontece.

 

 

No comments yet»

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: