Astrosphera

Ancient astrological technics uncovered.

o celeuma tropical versus sideral mais uma vez

Recentemente tenho lido discussões na internet sobre o uso do zodíaco sideral em Astrologia Mundial. Isso só vem a confirmar algumas dúvidas que tinha sobre a utilidade desse zodíaco na nossa prática.

Saber qual zodíaco usar é um problema historicamente recente, e por isso não temos uma maneira pré-estabelecida pelos Astrólogos medievais. Na idade média, o movimento de precessão ainda não tinha separado drasticamente o zodíaco tropical do sideral. Havia diferenças, mas em média a maioria dos planetas ainda estariam no mesmo signo em ambos os zodíacos. No nosso caso, a precessão atinge proporções sérias demais para comprometer o julgamento do Astrólogo a depender do zodíaco que ele utiliza. No zodíaco tropical, tenho Ascendente Áries. No sideral, Peixes.

Existem muitas justificativas a favor e contra os dois zodíacos e vou rebatê-las aqui uma a uma, de modo a perpetuar a confusão:

“Os hindus usam o zodíaco sideral e regências da mesma forma que nós; logo, ou nós estamos errados, ou eles estão”
ERRADO. Apesar dos hindus usarem o zodíaco sideral, eles dão muitos significados diferentes para cada casa, o que torna a comparação entre os dois sistemas em muitos casos impossível. Por exemplo, para eles a Casa IX representa o Pai, enquanto para nós tradicionalmente é a Casa IV. Em outros casos, porém, há similaridades, como no uso da Casa VII para representar a esposa. Nesses casos, o argumento acima ainda nos perturba, porém apesar de termos um planeta diferente em cada sistema a reger a mesma casa, o modo como esse planeta é analisado em cada sistema também é muito diferente. Os hindus usam aspectos de um modo diferente do nosso, as dignidades e a força de um planeta igualmente são mensuradas de outro modo.

Tentar criticar um sistema baseado no outro é como criticar a forma das bananas baseado na forma das laranjas. Eu posso dizer que uma banana é feia me baseando no que seria o conceito de uma “banana ideal”, mas não posso dizer a mesma coisa comparando banana com laranja!

“O zodíaco tropical é correto porque leva em conta as estações do ano”
DEPENDE. Taí um bom argumento, se levarmos em conta o viés “humoral” da Astrologia: os gregos impregnaram a Astrologia com conceitos filosóficos da sua época, sendo um deles a noção das qualidades primitivas, que formam os quatro elementos de Empédocles. Desde Ptolomeu temos percebido uma correlação entre fenômenos naturais e ciclos celestes, sendo essa correlação estabelecida num referencial zodiacal fixo. Abu Mashar também foi um Astrólogo que colocou vários conceitos Aristotélicos e Neo-Platônicos nos seus livros.

Baseado nas proposições acima, o uso do zodíaco tropical, fixo, nos é sugerido. É desse zodíaco que se partem todas as relações de regência dos planetas. É baseado nos solstícios e nos equinócios que o esquema de regências foi estabelecido, já em Ptolomeu, o que nos deixa ainda mais inclinados ao uso do zodíaco tropical.

Até aí, tudo bem, mas Ptolomeu não é mais uma grande referência para Astrologia. Com tudo que sabemos de Valens e companhia, pra que depositar todas as fichas em Ptolomeu? Todos os contemporâneos de Ptolomeu consideram as estrelas que formam a constelação do signo como uma descrição importante do signo. Isso sugere que o conceito de signo deles levava em conta também a constelação, o que é compreensível, uma vez que no primeiro século depois de Cristo tanto as constelações quanto os signos tropicais estavam bem mais alinhados do que hoje em dia. Em outras palavras: para eles, não fazia diferença! Repito que este problema filosófico é típico do nosso século.

“Se você analisar um mapa com um zodíaco diferente e trabalhar com as mesmas técnicas, pode chegar a resultados parecidos.”
CORRETO. Se Morin de Villefranche pegasse um mapa sem saber que ele era sideral ou tropical, poderia acertar do mesmo jeito em muitos casos. Afinal de contas, uma das máximas morinianas é:

Posição é mais importante que regência.

Em outras palavras: eu tenho Saturno na minha Casa VII, independentemente do zodíaco que adotar. No tropical, eu tenho Saturno em Libra; no sideral, em Virgem, todavia, é indubitável que Saturno está na Casa VII! A posição de Saturno é muito mais importante do que a regência dele.

Se você usar Lotes Gregos (também chamados de Partes Árabes), note que eles terão os mesmos posicionamentos por Casa em ambos os zodíacos. A única coisa que será diferente são as regências sobre as partes, mas meus estudos recentes concluem que os aspectos próximos entre um planeta e a Parte/Lote são importantíssimos em definir as condições sobre as quais operam os significados da parte, mais do que o regente. Eis a surpresa: os aspectos que a Parte recebe são idênticos nos dois sistemas na maioria dos casos!

Diante dos argumentos acima, não importará muito o zodíaco que você usar se você levar em conta a posição dos planetas nas Casas e os seus aspectos em mapas natais.

Deu pra ver que a disputa acima é acirrada, e que nós temos de pesquisar, “meter a mão na massa” para saber o que seria melhor para nós quanto a esse problema da contemporaneidade, o celeuma “tropical versus sideral”.

Alguns astrólogos pararam de brigar com esse conflito. Por diversos anos, físicos também discutiram se a luz seria onda ou partícula, um dilema que foi selado pela natureza dual da luz. no caso do problema zodiacal, essa pode ser uma solução. A pergunta que deixo para o leitor é:


“Será que cada zodíaco serve para propósitos
diferentes e podem ser usados em conjunto?”

Dois astrólogos contemporâneos de técnicas completamente diferentes têm respondido a essa pergunta calculando para o nativo dois mapas: um sideral, outro tropical, sendo que cada um deles se destina a propósitos diferentes. Steven Birchfield usa o zodíaco tropical na interpretação natal e o sideral para interpretar direções primárias. Ele tem reportado que o uso do zodíaco sideral nas primárias tem rendido resultados consistentes. Nesse método inovador, ele usa as regências dos planetas no zodíaco sideral, coisa que deixou a todos de queixo caído. Antônio Harres, mais conhecido como Bola, afirma que usa uma roda dupla, com os zodíacos sideral e tropical. Os dois Astrólogos acima têm abordagens diferentes, mas achei interessante que tiveram a mesma solução para esse dilema.

Durante algum tempo, vocês viram que eu especulei sobre o uso do zodíaco sideral para interpretação natal medieval, coisa da qual desisti ao ver colegas com resultados estupendos (Steven incluído) obtidos pelo zodíaco tropical. Em Astrologia também há formadores de opinião, e baseados na grande experiências desses praticantes ocasionalmente norteio minhas decisões técnicas. Por ora, ainda uso o zodíaco tropical, mas agora voltei um pouco o olhar para o sideral.

5 Comments»

  Anonymous wrote @

//Tentar criticar um sistema baseado no outro é como criticar a forma das bananas baseado na forma das laranjas.// Adorei rsUma dúvida sobre a composição de técnicas feita pelo Steven Birchfield: se ele usa o “o zodíaco tropical na interpretação natal e o sideral para interpretar direções primárias”, quer dizer que a interpretação das direções primárias é realizada sem levar em conta o que o planeta rege no mapa natal?AbraçoTetê

  Dr. R wrote @

oi tetêÉ isso mesmo… Nas direções primárias, o Steven usa a determinação sideral do planeta. E isso tem funcionado, segundo ele…Muito estranho, né?Eu já tentei usar o sideral em natal, mas desisti por me achar meio louco, mas os Astrólogos Persas faziam isso. Era chamado de Tajika, e os hindus usam isso na Revolução Solar.hoje eu penso que não era loucura minha… era experimentação, mas eu achei dispendiosa na época…

  Paulo wrote @

Rodolfo, aproveitando q vc entrou em questões polêmicas, hj me vi num dilema "estranho". Dois na verdade. Primeira coisa, relocação do mapa na RS e o segundo, inversão no hemisfério sul. Eu sei que a inversão é meio sem base do ponto de vista filosófico, mas vi o assunto ser pouco abordado. Já a relocação, tenho usado por acreditar que se o "espaço" da natividade, ou seja, o local tem impacto, isso serve pra explicar pq gêmeos idênticos não vivem a mesma vida (afinal de contas eles podem até dividir um tempo praticamente igual, mas não um espaço igual). Sendo assim, analisar cada RS isoladamente, com o local da RS como critério poderia ajudar (já q os períodos de Firdaria e as profecções são iguais, oq da nó na cabeça, e eu tenho mapa de gêmeos idênticos com os quais tenho q trabalhar…). Já pensou em falar sobre o assunto no seu blog?

  Dr. R wrote @

eu falarei em tempo oportuno, pode deixar.Quando à inversão do zodíaco, ela é teoricamente inviável: e a pessoa que nasce no equador? Tem o zodíaco invertido ou não???O zodíaco tem que ser fixo independentmente do hemisfério porque os autores dão representações fixas para ele. Por exemplo, O Iraque é regido por Júpiter e tem como signo representante Câncer. A china também, sendo que ela é cruzada pela linha do Equador, se não me engano. E aí? Se tem que inverter, a China seria Capricórnio-Câncer…

  Anônimo wrote @

Belo texto man!

Eu prefiro o sideral por causa daquele papo de dignidades… Tenho amigos com marte em áries tropical que com 20 anos são virgens, mesmo o marte nao estando aflito.. Além de virgens, são chegados em drogas (marte em peixes) e um deles é escoteiro… uma assosiação um tanto quanto estranha pra dar para marte em áries, não?

Os amigos com marte em touro são musculosos, esportistas, vários casos amorosos, dançarinos, surfistas… muito mais a cara de marte…

Mas tenho um amigo que tem marte em áries no tropical, que é forte desde criança e sempre prezou por academia, mas no sideral ele tem lua e marte em áries, em conjunção.. só a lua em conjunção com sol já daria força física.

Nenhum dos mapas eu tenho o ascendente o que poderia mudar drasticamente a análise, mas eu duvido muito que em todos os casos do marte em áries, esses martes estariam em casas maléficas e dificultariam a expressão ariana, embora eu pense que mesmo em casa maléfica, a tradicional virilidade do marte tinha que aparecer de certa forma.

Mas como vc falou, os 2 podem coexistir, pra mim essa é a melhor solução….

Mas pra mim os tropicalistas tinham que pensar ou analisar o invertimento dos signos/estações, já que ptlomeu deixou claro que os Signos só são o que são por causa da estação.
Exemplo: Áries só é viril, cheio de vitalidade, tem poder de iniciativa, liderança e tudo mais, porque ele marca o ínicio da primavera, aonde o inverno (frio, morte) acaba e dá inicio ao nascer das flores e traz o calor. Então nada mais natural do que pelo menos tentar analisar….

só que como vc vai falar pra um joão bidu da vida que venus em touro que ele falou que o cliente dele tinha, virou escorpiana?

Ou que o ascendente em cancer virou capricornio?

Conceitualmente a inversão está completamente certa, mas na prática nunca vai acontecer…. é até por esses motivos que o sideralismo perde espaço, pelo simples orgulho..

É por essas contradições e birras dos tropicais que eu prefiro o sideral!

Ps: em relação a china e os paises dos tropicos, é simples: segue as estações, no dia que começa a primavera, começa áries, como disse ptlomeu, e assim por diante. A china hoje é câncer por que no dia do nascimento da republica, o sol estava no inverno euroupeu. Se for inverno também na china, é cancer, se for outra estação, é o signo dessa estação, pronto!


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: