Astrosphera

Ancient astrological technics uncovered.

A fama de todo mundo.

Em alguns livros antigos do século passado, tentou-se mostrar alguns sinais de que o mapa pudesse mostrar a fama do seu dono, mas em vão. Aqui eu adoto “fama” com o sentido de representar alguém extremamente visado pela mídia nacional a mundial, mantendo uma boa reputação nesses veículos ou não. Antes de falarmos dessa fama megalomaníaca que todo candidato a Big Brother deseja, existe outro uso da mesma palavra. Fama também indica aquilo pelo que você é reconhecido ou chamado, mesmo que seja entre seus amigos e vizinhos, por mais restrito que seja o seu círculo social.

Almeida é um cidadão que nunca apareceu na TV. Ele é médico, cirurgião. Passa quase 12 horas dentro de um centro cirúrgico e eventualmente dá aulas aos alunos do hospital universitário onde atua. Costuma ser objetivo ao ponto da rispidez; retruca ofensas com a mesma moeda. Grosso, incisivo, mal-educado, seja lá como você chame: Almeida é verbalmente agressivo, já fez alunas chorarem.

O personagem fictício do parágrafo acima possui no seu mapa natal o sol na casa 12 em oposição a marte. O sol é a fama que o nativo tem; se aflito por marte, como é o caso, isso indica que sua reputação inclui a agressividade ou a pessoa é conhecida por manipular de instrumentos cortantes e ígneos. Pois no caso do nosso amigo, ambas as coisas acontecem. Um cirurgião com exímia técnica; um grosseirão antipático.

O dispositor do sol, (o regente do signo onde está) indica a causa ou origem da fama. Se no exemplo o sol de Almeida estivesse em Peixes, e o regente deste signo estivesse na casa 9, a fama dele se origina do ambiente acadêmico, coisa que de fato aconteceu.

A história de Almeida poderia ser a de qualquer um, até mesmo de um famoso. O sol não é o único indicador de fama, mas ele é imprescindível na análise. Através dele, sabemos meios pelos quais a pessoa terá fama. É comum observarmos um sujeito ter um revés de sorte através de um grupo ou de um amigo influente, e quando analisamos seu mapa não é surpresa emcontrarmos o sol na casa XI, como foi o caso de Robert Zoller.

Robert Zoller é conhecido hoje por ter criado o primeiro curso de astrologia medieval por correspondência e o único que não mistura técnicas modernas com medievais. Até o início da década de noventa (1993, presumo), ele não passava de um excelente astrólogo de Nova York, que usava técnicas medievais e a interpretação baseada nas regras de Morin de Villefranche. Pois no ano de 1992 ele conheceu dois homens que mudariam sua fama, fundando o Projeto Hindsight.

Com alguns anos, Zoller conseguiu um grande renome e foi mais além, saindo do projeto devido a conflitos que até hoje não foram muito bem explicitados pela mídia. É importante mostrar que essas brigas também fazem parte da fama de Zoller, pois seu sol em Aquário recebe uma conjunção de marte e uma oposição de Saturno. A briga, as questões judiciais, as perdas, tudo ficou sob a mira dos holofotes da comunidade astrológica.

A história de Zoller e a do fictício Almeida divergem apenas na amplitude da fama. Enquanto Almeida é conhecido num círculo restrito às paredes de um hospital, Zoller tem prestígio mundial da comunidade astrológica. Muitas pessoas confundem a fama com sua amplitude. Todos tem uma fama, pois não vivemos isolados uns dos outros, dentro de bunkers. O sol brilha, seus raios batem na nossa pele e a luz é refletida: nós sempre nos mostramos, seja na rua, dentro de casa ou nos palcos, e é disso que o sol fala. A grande diferença reside na amplitude da fama, que faz com que a fama de Elvis Presley seja bem maior que a do porteiro do seu prédio.

Existem um conjunto de técnicas medievais que procuram sondar o quanto a pessoa será famosa: a tal “amplitude” que citei a pouco. Firmicus Maternus analisava se o regente do domicílio e o regente do termo da Parte da Fortuna se encontravam muito próximos da cúspide das casas angulares. Isso indicaria um sinal de fama. Existem outras técnicas que analisam o mapa como um todo, como a Doriforia, a serem citadas noutra ocasião.

A despeito da amplitude, a análise que fizemos do Sol neste artigo nos traz uma reflexão: a astrologia de lazer contida nos jornais é conhecida pela supervalorização desse astro. Se tentarmos conjugar a interpretação medieval com a moderna, o que se faz nos jornais é mostrar como as pessoas são conhecidas, e não o que elas realmente são. Só poderemos saber como é Almeida e nos tornarmos íntimos dele. Talvez a sua família tenha outro julgamento dele, mas isso não é papel do Sol.

3 Comments»

  Nalu wrote @

Rodolfo, acho que o Zoller voltou para o hindsight né? Pelo menos parece que tem algo assim no site. Acho que foi agora em julho, se entendo direito…Abraços.Estou com vontade de ler o que vc vai escrever sobre as doriforias.

  Gabrielz wrote @

No caso do regente do termo da PF estar em casa angular, porém existem 3 planetas em domicilio (Saturno casa 5, Mercúrio casa 8 e Plutão casa 1). Como seria neste caso, considerando que Saturno é o planeta dominante no mapa?

  Rodolfo Veronese wrote @

Nesta técnica de Firmicus Maternus, deve-se considerar apenas o regente dos termos da Fortuna. Se esse planeta estiver angular e conjunto à cúspide do ângulo, segundo Firmicus, a pessoa terá grande fama. Portanto, os planetas mencionados acima apenas serão importantes SE um deles reger a fortuna ou seus termos. Caso contrário, eles serão importantes para a casa que eles regem.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: