Astrosphera

Ancient astrological technics uncovered.

Desejos não realizados e a astrologia

Pedro é um desenhista muito talentoso que recebe a infeliz alcunha de amador. Ele aprecia histórias em quadrinhos japonesas, e está concluindo (aqui é importante o tempo gerúndio…) um roteiro para a sua primeira história, um misto de ficção científica biotecnológica com magia medieval.

O tempo passa, Pedro entra na universidade, e não conclui a história. A faculdade de engenharia lhe consome muito tempo, e ele posterga o desenvolvimento do esboço da história para suas férias.

O segundo período da faculdade começa. Pedro já delineou o início da história, mas ainda não passou nanquim sobre ela, o que os desenhistas chamam de Arte-Finalização. Ele a guardou num canto do armário, e agora as aulas de Cálculo lhe consomem tempo o suficiente para se manter afastado da prancheta que ganhara no seu vigésimo aniversário. A prancheta às vezes lhe tem serventia para estudar, não desenho artístico, mas cálculo, trigonometria e Física mecânica.

Nas férias entre o segundo e terceiro períodos, Pedro procura seu projeto de história inacabado e não o encontra. Sua mãe, uma cristã pentecostal recém-convertida, decide expurgar de sua casa toda a “aparência do mal”, e isso inclui os esboços de Pedro, cujos personagens ostentam glifos pagãos e chifres demoníacos.

Por estar entre uma faculdade que lhe exaspera, e uma mãe dogmática, Pedro desiste do projeto momentaneamente. Agora, no quinto período, ele faz o que sempre fez, apenas esboços de desenhos na carteira da universidade. Consegue a admiração de todos os seus colegas pelo que faz, e já é a terceira vez que desenha a camiseta da sua turma. Pedro não deixou de ser feliz, mas apenas se lamenta às vezes por deixar seu projeto incacabado.

Essa história nos serve para entendermos os desafios que alguns desejos nossos encontram para serem realizados. Em virtude desses embargos, nós sempre estamos em vias de realizá-los, mas não conseguimos.

O que seria uma grande frustração, contudo, dá lugar a outras coisas, outras tentativas de concretização. Pedro se formou engenheiro, e desfruta de um emprego federal estável. Se casou, tem filhos, e de vez em quando senta no seu computador e esboça alguma coisa, pinta aos poucos e publica num site de desenhistas amadores.

O que a astrologia usa para representar esses dramas quotidianos? Quando olhamos para as pessoas ao redor, o que é mais fácil encontrarmos? Projetos incacabados, como o de Pedro, ou pessoas cem por cento realizadas? A resposta a essa pergunta parece triste, mas não é. As pessoas sempre procuram realizar algum sonho, nem todos são possíveis, e é por isso que a primeira alternativa me parece mais plausível. Enquanto a maioria dos astrólogos vaticina grandes catástrofes nos mapas das pessoas, deveriam aprender a enxergar dinâmicas quotidianas como a de Pedro. Existe uma mediocridade que passa invisível aos olhos de muitos astrólogos.

Se encontrarmos Pedro na rua, tomando um café e batendo papo com seus amigos, eu não diria que encontraria uma pessoa que se lamente muito pelo que deixou de fazer. Espero encontrar alguém feliz. Talvez em seu pensamento ele se orgulhe dos talentos que têm.

É por essas razões que o estudo da astrologia não deve ser triste. Quando comecei a interpretar mapas à luz da teoria de Morin, eu me assustei com a questão das dignidades. Quanto mais dignidades um planeta tem, mais a pessoa é capaz de realizar até o fim determinado assunto. Assim, eu sempre encontro mapas com pouca dignidade, e até pouco tempo achava que os donos dos mapas eram infelizes. Eu mesmo teria pena de Pedro, mas hoje não, por entender que a felicidade depende muito mais do que simplesmente um planeta em mal estado cósmico.

É muito provável que o talento de Pedro para o desenho seja representado por um planeta em mal estado cósmico, significando que, apesar do grande talento que possui, ele nunca vai até o fim com seus projetos. Seu talento é apenas uma promessa, um potencial latente, sempre vislumbrado, mas nunca efetivado. Seus desenhos ficam apenas no esboço. Literalmente.

Que isso fique em mente. Planetas debilitados indicam coisas que não se cumprem. Se for um casamento, este não vai “até que a morte o separe”, se for um talento, a pessoa não se profissionaliza e o deixa de lado, se for uma amizade, idem. Aprenda a associar a dinâmica do “não cumprimento” às casas a qual o planeta está determinado.

Existe uma crença entre os astrólogos medievais de que o planeta debilitado representa uma tentativa de realização que é deixada de lado para nunca mais ser procurada pelo nativo. A experiência prova nem sempre isso acontece. Em alguns casos, O planeta em mal estado cósmico sempre se manifestará, mas por ser debilitado, sua nova tentativa é tão breve quanto a anterior. Para entender isso, basta olhar o exemplo de Pedro, com quarenta e cinco anos de idade, ele ainda compra programas de desenho, tem uma prancheta e um scanner em seu escritório, mas nunca se profissionalizou, e jamais colheu os louros do seu dom.

3 Comments»

  Yuzuru wrote @

Ola, Rodolfo. Uma teoria que eu já vi, apesar de parecer meio “moderninha”, é que a pessoa que tem o regente, digamos da profissao, em péssimo estado zodiacal, só alcanca “sucesso” indo por vias tortas, na contramao das regras instituidas.No caso da casa 10, a pessoa só conseguiria o sucesso indo por fora das vias convencionadas como certas: universidade, promocoes, etc.No caso de uma casa 7, a pessoa deveria procurar parceiros pouco convencionais em situacoes pouco convencionais… se procurar nas situacoes normais, baladas, sites de encontros, etc, com pessoas “normaizinhas”, sempre vai se ferrar.É uma hipótese de trabalho, se funciona ou nao ainda nao sei

  Rodolfo wrote @

muito boa essa teoria do Yuzuru, gente. Vou testá-la.

  Anonymous wrote @

WANTED: Desenhista medieval com múltipla personalidade ele pode se identificar como engenheiro, médico, astrólogo, desenhista ou Napoleão; Ele pode ser perigoso é um pouco menor que um poste, cabelos tipo miojo muito suspeito, e com uma prancheta com uns rabiscos toscos que ele chama de desenho.Sua mãe oferece recompensa, acha que ele foi possuído, a policia recomenda que pergunte sobre seu regente de escorpião plutão o tempo que ele ficará tentando convencê-lo de que é marte será o suficiente para a policia capturá-lo.Police


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: